Share


Arnaldo Ribeiro escolhe os seus gols 10 favoritos até 2006. “Ronaldinho encerrou a carreira em 2006, depois do título da Champions League. Depois da Copa da Alemanha, temos um outro jogador em ação.”

1. 20/6/99
Grêmio 1 x 0 Inter
Decisão do Gauchão. Entortou Dunga e ainda fez o golaço da vitória, que valeu título e convocação.

2. 30/6/99
Brasil 7 x 0 Venezuela
Cartão de visitas na seleção. Lindo chapéu em Rey, uma finta e conclusão cirúrgica. Golaço na Copa América do Paraguai.

3. 30/11/2000
Grêmio 2 x 1 Sport
Nas quartas-de-final do Brasileirão, Ronaldinho fez dois. O primeiro, de falta. O segundo, de placar, com direito a elástico no zagueiro.

4. 16/3/2002
PSG 3 x 1 Troyes
Correu meio-campo em 6 segundos, driblando todos os adversários pelo caminho. E ainda definiu com categoria. Ele já havia feito outro gol no jogo.

5. 21/6/2002
Brasil 2 x 1 Inglaterra
Foi sem querer? Eu até acho que foi. Mas foi bonito, encobrindo Seaman na cobrança da falta, e o mais importante dele na carreira. Valeu a vitória de virada num jogo crucial de Copa do Mundo.

6. 8/2/2004
Osasuna 1 x 2 Barcelona
Davids chuta torto de fora da área. Ronaldinho domina, aplica um chapéu no zagueiro e vira de voleio para o fundo das redes. No dia seguinte, o Marca pediu para ele repetir num treino do Barça.

7. 2/11/2004
Barcelona 2 x 1 Milan
Estreia de Ronaldinho na Champions. Uma vitória classificaria o Barça. Aos 43 do segundo, ele recebe de Eto´o, passa voando no meio dos zagueiros e fuzila Dida. Na comemoração, sai o “Eu sou foda!”.

8. 29/1/2005
Sevilla 0 x 4 Barcelona
Recebe a bola do goleiro Valdés, ainda na defesa. Avança, cortando vários adversários. Bate de longe, forte, por cobertura. A bola ainda bate no travessão antes de entrar.

9. 20/11/2005
Real Madrid 0 x 3 Barcelona
O Barça já vencia por 1 x 0. Aos 11 do segundo tempo, Ronaldinho arranca pela esquerda, muda de direção diversas vezes, confundindo Sergio Ramos e Helguera. De frente para Casillas, só escolhe o canto, batendo no contrapé.  20 minutos depois, outra arrancada, outros dois merengues no chão, outro golaço. 3 x 0. Sai apaludido de pé pela torcida rival.

10. 7/3/2006
Barcelona 1 x 1 Chelsea
Foi o gol fundamental no título da Champions League. Recebe de Etoó, passa literalmente por cima de John Terry e bate firme, num gol que misturou força e técnica.