Share

O maior espetáculo do esporte já foi protagonizado por brasileiros. Foi assim quando dominávamos o futebol com precisão, técnica, jogo individual e coletivo de qualidade deslumbrante nas décadas de 50, 60, 70 e 80. De lá para cá, muita coisa mudou. Uma realidade que parece imutável é o domínio norte-americano no basquete. Que tenham perdido uma Olimpíada aqui e outra ali, ok. Mas a vitória assustadora nesta quinta-feira (2) não deixa dúvidas: vale mais um ingresso para o time ver de perto LeBron James, Kevin Durant, Kobe Bryant e companhia que para qualquer exibição do Cirque du Soleil.

Com 156 pontos anotados nos 40 minutos de jogo contra os nigerianos, o time norte-americano estabelece um novo recorde na Olimpíada. Novamente, azar nosso, já que a marca anterior era justamente do time comandado por Oscar Schmidt, nos Jogos de Seul, em 1988. Na época, foram 138 pontos anotados contra o Egito.

Além do novo recorde de pontos em jogo olímpico, o novo Dream Team também arrebatou a melhor marca norte-americana de bolas de três pontos. Frente os nigerianos, foram impressionantes 29 tiros certeiros, superando a marca anterior (14).
Com apenas 14 minutos em quadra, Carmelo Anthony, ala do New York Knicks, foi o cestinha. Ele liderou o massacre com 37 pontos anotados – sendo dez bolas de três pontos. E aí cai uma nova marca: a pontos anotados por um norte-americano nos Jogos Olímpicos. Adeus, Stephon Marbury e seus 31 pontos anotados em 2004, em Atenas.

O novo show de três pontos e enterradas (houve até uma incrível ponte aérea com finalização de costas de Anthony Davis) está programado para o próximo jogo. Nada dá sinais de que as coisas serão diferentes. As únicas mudanças possíveis parecem ser o dos antigos recordes olímpicos, já que a medalha dourada deve caber bem no pescoço do time ianque. E até lá, você já sabe: garanta espaço diante da televisão quando o jogo for começar. E corra para garantir sua quando as entradas para a Olimpíada do Rio de Janeiro começarem a ser vendidas.