Por Ricardo Zanirato:

O gênero escolinha de humor surgiu no rádio brasileiro ainda nos anos 30, quando Vital Fernandes da Silva, conhecido como Nhô Totico, lançou a Escolinha da Dona Olinda, com tipos representativo  da sociedade paulista da época. O formato é tão popular, que migrou para a TV, ainda nos anos 50 e até hoje é produzido, apesar de estar batido há algumas gerações.

Além de humoristas consagrados e em início de carreira, alunas voluptuosas são praticamente uma obrigação do formato. No final dos anos 90 e início dos 2000, a rede Record transmitiu a Escolinha do Barulho, produzida pela GGP, de Gugu Liberato. Com a contratação do apresentador pela emissora da Barra Funda, a escolinha voltou à grade da emissora, porém, agora, com a alcunha do “professor”: Escolinha do Gugu.

Algumas alunas originais voltaram para a segunda temporada, como Linda Rosa e seu bordão “isso é bom pra mais de metro”, Dona Fifi de Assis, que sempre que tira um 10 sente muito calor e Marilyn Brasil com o seu “sabe o que é, sou eu…”.

Veja quais das estudantes você prefere neste duelo Escolinha do Barulho versus Escolinha do Gugu:

Linda Rosa:

Entre 1999 e 2001, Adriana Ferrari viveu a ingênua caipira. Nascida em Capivari, interior de São Paulo, a morena não teve dificuldades de puxar o sotaque para encarnar a personagem. Adriana começou na TV como Garota do Fantástico, tirou a roupa para a Playboy, em maio de 1995, e outras 3 para a Sexy.

A atual dona do bordão “isso é bom pra mais de metro” é a ex-BBB de Ribeirão Preto Cláudia Collucci, a Cacau. A gata que pertencia a tribo dos Sarados no reality show global recheou as páginas de Playboy, em abril de 2010.

Dona Fifi de Assis:

Na Escolinha do Barulho, Paula Melissa, dona do bumbum mais desejado do Brasil em 1997, segundo votação da revista Playboy, era quem tirava a roupa a cada 10 que recebia do professor. No final de cada aula, quando Dona Fifi estava apenas de lingerie e o mestre perguntava para quem seria a última pergunta, a ala masculina da classe clamava pela curvilínea CDF, mas, infelizmente, isso nunca aconteceu na gestão Paula Melissa .

Quem sabe agora, na Escolinha do Gugu, na qual Vanessa Zotth vive a nerd isso possa acontecer. A morena de Santo André é figurinha fácil em diversos ensaios sensuais na internet. Apesar do farto material com pouca roupa, a ex- participante do quadro Lingeries em Perigo, do Pânico na TV, nunca posou como veio ao mundo.

Marilyn Brasil:

Tanto na Escolinha do Barulho quanto na do Gugu é Mari Alexandre quem vive o estereótipo da loira burra. Em 99, a catarinense de Rio do Sul tinha 25 anos e havia posado nua quatro vezes (uma para  Playboy – abril de 1992 – e 3 para a Sexy). Na versão repaginada do humorístico, Mari é uma mulher divorciada (foi casada entre 2007 e 2010 com Fábio Jr.), mãe (Zaion de 3 anos) e com mais dois ensaios nus no currículo (ambos para a Sexy). Porém, assim como vinho, a loira parece melhor e mais encorpada para fazer a audiência subir.